17 março 2013

BOTSWANA




as árvores têm a idade das rochas
as rochas têm a idade da terra
no Botswana é possível contemplar a criação do mundo
ou o dia seguinte à criação do mundo
o primeiro dia

quando o guarda flortestal desliga a chave na ignição do jipe
existe o silêncio absoluto

o silêncio
imenso
permanece sobre nós

oceâno que flutua
suspenso sobre nós

há uma voz que nos fala baixinho
dentro do nosso peito ou em todos os lugares do mundo
e o sol começa a descer
a pique
vertiginosamente
ninguém pode pará-lo

o horizonte incendeia-se

a música nasceu num momento assim

[...]

o meu coração bate
sim
as árvores têm a idade das rochas
as rochas têm a idade da terra
a terra tem a idade da noite

o mundo inteiro está coberto por estrelas

de: José Luís Peixoto [Botswana]



16 comentários:

  1. Acho que a poesia também nasceu num dia assim...! E ainda bem, porque assim existem poesias lindas como esta que partilhaste, acompanhada de uma música muito bem escolhida!

    Beijo, boa semana

    P.S.: Obrigada pela vista ao "aniversário" ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. beijo, Isa:)
      espero ver-te por aqui e por aí ainda por muito tempo!

      a qualidade do que damos tem o valor da essencia de quem nos sabe receber sem mordomias mas com a simplicidade de apenas SER!

      obrigada sou eu, pelo carinho.

      Eliminar
  2. Excelentes escolhas.
    Vídeo e palavras.
    Minha querida amiga, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Barcelli, meu querido, há muito que não passavas por aqui :)
      boa semana também para ti.

      beijo.

      p.s.- tenho muita dificuldade em alguns blogs amigos, o teu é um deles, Barcelli, e nem sempre consigo comentar.
      não sei o porquê!!?

      Eliminar
  3. Belo

    ... mas também há estrêlas no chão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tantas!
      todos quanto amamos!

      beijo, Eufrázio.

      Eliminar
  4. Imensidão, silêncio, mistério, paixão e vida- África.
    Pequeno, na savana, bebi e respirei os seus aromas e senti a magia. Aqui nasceu o mundo, também pensei. Desde o momento que pisei a terra eu estava em casa, nascera de novo. A cor ocre, o cheiro, a temperatura, a grandeza e a natureza virgem e paradisiaca, me enfeitiçaram. Podia morrer, fundir-me no solo, ser matéria, alimentar e fazer parte
    ..../...

    Anos volvidos sinto que o meu espírito por lá ficou.

    Bonito o seu portal.
    Parabéns.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. muito bonito o teu comentário, Armindo.

      dizem que sim, quem por lá passou, que África é Terra, por isso a todos prende...

      obrigada.
      aberaço.

      Eliminar
  5. Querida amiga

    Há nas palavras
    que nos fazem sentir
    o perfume da vida,
    o milagre da eternidade.

    Que os sonhos
    encham de luzes
    os teus caminhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... não posso perder os sonhos, Aluísio.
      não quero perdê-los.
      sonhar também é viver.

      abraço amigo.

      Eliminar
  6. Maravilhoso poema exaltando a terra_nosso berço a propria vida.
    Bela escolha
    deixo abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada lis!

      bem vinda a este lugar :)))
      espero-te sempre :)

      abraço.

      Eliminar
  7. Hum, ler o texto ao som da maravilhosa música é muito bom!!
    Beijinhos, amiga das excelentes escolhas.

    ResponderEliminar
  8. Os bons poetas escrevem assim!

    Saudações minhas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. também tu és dos melhores, poeta Calado!
      obrigada por estares aqui.

      beijo meu.

      Eliminar